Como contribuir para o INSS como autônomo?

|

Como contribuir para o INSS como autônomo?

Como contribuir para o INSS como autônomo

Você sabe como contribuir para o INSS como autônomo? A contribuição para o INSS é muito importante para todos os trabalhadores que desejam garantir todos os seus direitos.

Todos os profissionais que exercem algum trabalho com carteira assinada não precisam se preocupar com a contribuição, já que a própria empresa empregadora é responsável pelo pagamento ao INSS.

No entanto, os profissionais autônomos ou o contribuinte individual, são responsáveis pelo próprio pagamento.

Essa contribuição é obrigatória para garantir os seus direitos junto ao INSS, mas, infelizmente, muitos trabalhadores não sabem o que fazer para começar a contribuir.

Por este motivo, o objetivo do texto é explicar a importância da contribuição e como ela pode ser feita, considerando também a preparação para aposentadoria do contribuinte.

A importância de contribuir para o INSS como autônomo

O profissional autônomo é o trabalhador que por conta própria realiza alguma atividade para pessoas físicas.  Para isso, o trabalhador não precisa ter uma qualificação técnica para oferecer o seu serviço.

Como, por exemplo, podemos destacar o trabalho do pintor, pedreiro, cabelereira, encanador e outros profissionais.  Diferente dos profissionais liberais.

fale com um advogado

Os trabalhadores liberais são considerados pelo INSS como contribuintes individuais.  A diferença é a exigências da qualificação profissional. Neste grupo estão os médicos, dentistas, engenheiros e outros profissionais.

Para os profissionais autônomos a contribuição para o INSS é fundamental para a sua futura aposentadoria, mas não apenas para ela.

Afinal, quem realiza as contribuições garante o acesso a todos os benefícios oferecidos pela Previdência Social como, por exemplo, salário-maternidade, auxílio-doença, pensão e outros. 

Opções para contribuir para o INSS como autônomo

Há algumas opções disponíveis para o autônomo contribuir para a Previdência Social por conta própria.

  1. Inscrição no PIS/NIT

Se você trabalhou pelo menos uma vez com carteira assinada, já tem o seu número do PIS/NIT ou, ainda, NIS (Número de Inscrição Social).

A sigla PIS significa Programa de Integração Social, já o NIT significa Número da Inscrição do Trabalhador.

Esses dois registros são encontrados no Cartão Cidadão e sua Carteira de Trabalho. Todos os trabalhadores que contribuem para o INSS possuem essas duas inscrições.

Mas, se você nunca trabalhou de carteira assinada, é necessário fazer a sua inscrição pela internet usando o site ou aplicativo do MEU INSS.

Também é possível fazer o cadastramento ligando para o número 135 ou em uma agência do INSS.

  1. Com quanto você deseja contribuir?

Após se cadastrar, o próximo passo agora é escolher o tipo de contribuição que você deseja realizar. Atualmente, existem várias opções para contribuição, porém as mais utilizadas são:

  • Contribuinte Plano Normal – Código 1007

Neste plano o trabalhador contribui para o INSS com 20% do seu rendimento mensal.  Nesse caso, o valor mínimo para contribuição será de um salário-mínimo.  O valor máximo para contribuição será de 20% do valor do teto que atualmente está em R$ 6.101,06.

Com esse plano o trabalhador garante todos os benefícios da Previdência Social.

  • Contribuinte Plano Simplificado – Código 1163

Nesta opção, o trabalhador autônomo contribui com apenas 11% do valor do salário-mínimo.  No entanto, no momento de se aposentar, o valor que o trabalhador receberá será apenas 1 salário-mínimo.

No entanto, essa opção também garante ao trabalhador o direito aos benefícios do INSS como, por exemplo, pensões, auxílio-doença, salário-maternidade de outros.

  1. Contribuição para o INSS como MEI

Se você trabalha como autônomo, O MEI (Microempreendedor Individual) é uma das melhores formas para contribuir com a Previdência Social.

Além de formalizar o seu trabalho com o MEI, você contribui para o INSS com apenas 5% sobre o salário mínimo, acréscimo de R$ 5 reais para municípios em caso de serviços, ou R$1 para o ICMS no caso de comércio ou indústria junto ao Estado.

Como o autônomo pode preencher a Guia da Previdência Social (GPS)

A Guia da Previdência Social (GPS) é outra maneira disponível para o trabalhar autônomo contribuir para o INSS.  Essa opção pode ser preenchida de três formas:

  • Manualmente: Você pode comprar a guia em papelarias e preencher com as informações solicitadas.

 

  • Pela Internet: Por meio do site da Previdência social você pode emitir a guia e imprimir o documento para ser pago depois.
  • Internet Banking: No aplicativo da Caixa Econômica você pode realizar o pagamento da guia pelo Celular.

O pagamento da Guia pode ser feito por aplicativo, banco ou nas agências lotéricas.  No entanto, lembre-se de preencher corretamente os seus dados, principalmente o código da forma de contribuição escolhida.

Planejamento da Aposentadoria

A possibilidade de planejar a sua aposentadoria é uma das vantagens de contribuir para INSS como autônomo.  Isso porque, você pode escolher entre contribuir com 11% ou 20% e aproveitar os benefícios que cada uma das contribuições oferece.

Conclusão

Em resumo, contribuir para o INSS como autônomo não é difícil como muitos trabalhadores pensam. Isso porque, basta apenas escolher alguma das opções disponíveis para contribuição.

Com as contribuições em dias você pode aproveitar os benefícios do INSS e também planejar sua aposentadoria.

fale com um advogado

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

plugins premium WordPress